O CUIDADO E A FORÇA DA PARACLESE

Maria Inês de Castro Millen

Resumo


Um dos maiores desafios para o cristianismo, pensado à luz de referenciais éticos, sobretudo na história do terceiro mundo, é a presença maciça de pessoas em situação subumana de existência. Milhões e milhões de pobres, excluídos e oprimidos de nossas sociedades, clamam aos céus por um mundo mais justo e mais fraterno, onde possam aspirar por uma vida que deixe transparecer para todos a dignidade de filhos e filhas de Deus que lhes é devida. Os avanços científicos e tecnológicos dos últimos tempos propiciaram um crescimento nunca antes imaginado na produção de serviços e bens materiais. No entanto, a injusta distribuição desses mesmos serviços e bens fez com que o fosso entre ricos e pobres, entre os que participam da vida e aqueles que estão fora de qualquer projeto existencial, crescesse de forma assustadora. A organização social, mundialmente integrada, está fundada, na cultura atual, em um projeto político econômico que privilegia os vencedores, os mais capacitados, os fortes, os jovens, os belos, os talentosos. Projeto que está contraposto, a partir do seu próprio eixo estruturante, àquele que se funda no caminho apontado por Jesus Cristo.  Por esta razão, a Teologia Moral, ensinada e vivida por grandes mestres, como, por exemplo, Padre Bernhard Häring e Frei Bernardino Leers, apresenta o Cuidado como um caminho histórico que busca um modo especial de estar no mundo, como uma espiritualidade capaz de recuperar as relações fraternas e solidárias entre todas as pessoas e todos os povos, apontando para a paraclese como horizonte enucleador da ética cristã.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.