Sessões Temáticas - 24 de outubro | Quarta-feira

1. Minorias excluídas e religião

Moderador: Profª. Dra. Lilian Gomes (ISTA)

A Sessão Temática ligada aos direitos de minorias excluídas visa aceitar comunicações que abarquem a pluralidade de temas que estão ligados ao debate sobre as mais diversas pautas que discutam questões tais como: relações etnicorraciais, gênero, sexualidades, questões geracionais, dentre outras, e suas interconexões com a(s) diferentes manifestações religiosas.


2. Religião, política e espaço público

Moderador: Prof. Dr. Daniel Rocha (ISTA)

Contrariando algumas expectativas do início do século XX de que a religião teria sua esfera de influência progressivamente limitada ao âmbito privado e às questões internas das igrejas, podemos constatar que as crenças religiosas permanecem como uma importante força no espaço público contemporâneo, exercendo especial influência sobre debates e disputas no campo político. Esta Sessão Temática busca reunir pesquisadores que abordem as diversas e multifacetadas relações entre religião, política e espaço público. Nesse sentido, a ST está aberto para trabalhos que discutam as relações entre religião, sociedade e Estado; as articulações entre grupos religiosos e movimentos sociais; os lobbies e a atuação de parlamentares ligados a grupos religiosos nas casas legislativas; a inspiração/legitimação religiosa/teológica de pautas conservadoras e/ou progressistas na arena política; as relações entre religião, mídia e espaço público; entre outras temáticas correlatas.


3. Fake news & junk news: a desinformação a serviço do abalo de crenças

Moderador: Prof. Dr. Mario Viggiano (PUC Minas)

A sociedade contemporânea se depara com um fenômeno que não é novo, mas que ganhou outros nomes e promovem a desinformação. As fake news, ou notícias falsas, sem base factual, cada vez mais contaminam noticiários e redes sociais ao divulgar informações de conteúdo enganoso. São notícias que fazem falsas equivalências e associações, com o intuito de, ao mesmo tempo, atrair a atenção de muitas pessoas ao tentar prejudicar outras. Além das inverdades, hoje também se fala nas junk news, ou seja, tipos de notícias sem valor ou de pouca qualidade informacional.

A proposta para esta Sessão Temática é o de discutir a presença desses tipos de notícia e verificar como essa desinformação é capaz de abalar crenças e convicções e convencer e doutrinar equivocadamente os diversos públicos.


4. Mística e diálogo inter-religioso

Moderador: Prof. Dr. Mário Werneck

A proposta da Sessão Temática visa estimular os estudos e a produção acadêmica em uma área de pesquisa que vem crescendo no Brasil e no mundo. A mística, por ser um fenômeno cosmopolita, aponta para a percepção de que a estrutura de base do universo é uma teia de relações e, ao mesmo tempo, concita no místico uma necessária experiência de aprofundamento radical na sua própria tradição, ou seja, o místico vai ao cerne de seus dogmas, doutrinas e mandamentos, para daí encontrar Deus no oceano da alma. Desse primeiro diálogo original brota o fundamento que irá servir de estrutura de base para uma atitude de relação dialógica com o outro, que, por ser outro, traz consigo a marca da diferença. E esse diálogo com o outro; esse diálogo com a diferença é ensinado pelos místicos através de seus “diálogos” com o Totalmente Outro. E aqui, então, se tem a semente explicativa do fenômeno inter-humano, a saber: somente no diálogo e pelo diálogo se revela a totalidade da pessoa. Em sua última viagem à Myanmar e Bangladesh, o Papa Francisco disse: “a diversidade é bela (...). A paz se constrói no coro das diferenças”, e a mística tem muito a contribuir para a consecução e construção de um diálogo inter-religioso pleno e fecundo. O presente grupo de trabalho tem como objetivo geral apresentar e debater os fundamentos filosóficos e teológicos da mística e do diálogo inter-religioso e, como objetivos mais específicos, aprofundar a leitura e a pesquisa de uma vasta tradição de conhecimento e diálogo.


5. Ecologia e Teologia

Moderador: Prof. Dr. Afonso Murad

Serão bem-vindas as comunicações de alunos, docentes e pesquisadores a respeito de temas de ecologia, lidos à luz da fé cristã. Os participantes podem apresentar experiências de comunidades cristãs que se empenham pela sustentabilidade e o cuidado da casa comum. Ou também estudos de natureza teórica, contemplando as múltiplas faces da ecoteologia.


6. Religiões afro-brasileiras e as diversas formas de se viver

Moderador: Prof. Me. Anderson Marinho Maia (ISTA)

Esta Sessão Temática se propõe a discutir os hibridismos religiosos e culturais e tem como pano de fundo a experiência feita de forma transdisciplinar que atravessa a filosofia, teologia, ciências da religião, dentre outras.

Assim, visando à construção de conceitos marcados por um hibridismo, podemos dizer que esta seja a marca atual da produção científica e das ciências acima relacionadas, bem como das diversas que compõem a nossa rede de conhecimentos.

As religiões afro-brasileiras vêm trazendo, cada vez mais, na pauta do dia a dia, informações de que elas têm muito a nos dizer como forma religiosa original. Essa receberá as suas contribuições em torno dessa temática.


7. Ética e Ciberfilosofia

Moderador: Prof. Me. Paulo Sérgio Araújo

A sociedade da informação é constituída pelo digital e representa uma realidade em nosso contexto. Para quase tudo o que fazemos, podemos efetivar pelo uso e exploração do ciberespaço. Essencialmente, o digital permite redefinir a nossa relação com o espaço, tempo e presença com os outros. O impacto é tão grande nas vidas das pessoas e instituições, que cada um de nós se vê forçado a alterar comportamentos e a integrar o digital no nosso dia a dia. Esse é o ponto de partida para a discussão filosófica, o que significa construir indagações acerca do sentido ético do viés da cultura digital e o que ela pode significar para a qualidade de vida e das experiências individuais e coletivas no trabalho, no lazer, na aprendizagem, na democracia, etc. Pretendemos analisar, filosoficamente, os elementos do conectivismo, as experiências constituídas na ciberdemocracia, experimentos com o viés da inteligência coletiva, a cibernética com os processos de governo digital, inteligência artificial, sistemas de informação, redes sociais e engenharia de software. O tema Ciberfilosofia passa a constituir um viés necessário para investigações a respeito do uso das mídias do ciberespaço. Esta é a discussão que pretendemos desenvolver nessa área de pesquisa, que propomos neste simpósio. Convidamos os interessados a se engajarem nesta Sessão Temática.


Sessões Temáticas - 25 de outubro | Quinta-feira

8. Religião e Literatura: pesquisas e modelos de leitura

Moderador: Prof. Dr. Antônio Geraldo Cantarela

O campo de conhecimento cunhado de Teopoética, relativo às interfaces entre literatura e o âmbito geral das ciências que estudam a religião e o sagrado, produziu, nas últimas quatro décadas, no Brasil, grande número de eventos e publicações. Esta Sessão Temática propõe-se a apresentar uma “radiografia” da produção bibliográfica no campo da Teopoética, com foco em dois aspectos: i) quem são os pesquisadores em Teopoética no Brasil (formação acadêmica, publicações na área, principais pesquisadores); e ii) que “modelos” de leitura das relações entre literatura e sagrado subjazem à sua produção (escritores e poetas mais lidos, aportes teóricos, tendências ao viés teológico, tendências à crítica literária). A sessão propõe-se, ainda, a receber comunicações que apresentem, com aportes teóricos, leitura de obra literária em diálogo com a Teologia.


9. O legado de Paul Ricoeur: crítica, convicção e poética

Moderador: Prof. Dr. Renê Dentz

Ricoeur enfatiza a diferença em relação à leitura crítica e à leitura confessante. A atitude hermenêutica filosófica de leitura livre e crítica dos textos difere da leitura querigmática dos textos bíblicos, por exemplo. No prefácio de Du texte à l´action, Ricoeur afirma que, em comparação com seus ensaios de hermenêutica reagrupados sob o título de Le Conflit des interprétations, a necessidade de defender o direito à existência da hermenêutica deixa agora lugar ao desejo de colocá-la efetivamente em ação. Efetivar a hermenêutica é algo que pode ser exemplificado mesmo com a hermenêutica bíblica, enquanto especificação de uma hermenêutica geral. No mesmo prefácio, Ricoeur declara que a “reinscrição progressiva da teoria do texto em uma teoria da ação” é a dominante naquilo que ele chama ironicamente de uma empresa de hermenêutica militante. Trata-se de uma postura que predominou no pensamento de nosso autor nas décadas seguintes, notadamente em Soi-même comme un autre e em La Mémoire, l´histoire, l´oubli. Ricoeur reafirma a temática do símbolo, mas vai além, encontrando e enfatizando nela seu valor hermenêutico. O símbolo continua a aparecer em sua obra, mas agora através do paradigma do texto.


10. Filosofia e Neurociência

Moderador: Dr . Daniel De Luca

Ricoeur enfatiza a diferença em relação à leitura crítica e à leitura confessante. A atitude hermenêutica filosófica de leitura livre e crítica dos textos difere da leitura querigmática dos textos bíblicos, por exemplo. No prefácio de Du texte à l´action, Ricoeur afirma que, em comparação com seus ensaios de hermenêutica reagrupados sob o título de Le Conflit des interprétations, a necessidade de defender o direito à existência da hermenêutica deixa agora lugar ao desejo de colocá-la efetivamente em ação. Efetivar a hermenêutica é algo que pode ser exemplificado mesmo com a hermenêutica bíblica, enquanto especificação de uma hermenêutica geral. No mesmo prefácio, Ricoeur declara que a “reinscrição progressiva da teoria do texto em uma teoria da ação” é a dominante naquilo que ele chama ironicamente de uma empresa de hermenêutica militante. Trata-se de uma postura que predominou no pensamento de nosso autor nas décadas seguintes, notadamente em Soi-même comme un autre e em La Mémoire, l´histoire, l´oubli. Ricoeur reafirma a temática do símbolo, mas vai além, encontrando e enfatizando nela seu valor hermenêutico. O símbolo continua a aparecer em sua obra, mas agora através do paradigma do texto.


11. Mito e Psicanálise

Moderador: Prof. Me. Geová Nepomuceno Mota e Profª Anamaris Pinto

Dentre vários pontos do saber, vamos nos ater à questão da passagem do mundo mítico ao pensamento racional, por considerá-lo uma base para tantas indagações a respeito do mundo e do próprio ser humano. O mito surgiu como uma das primeiras manifestações culturais pela qual o ser humano se situa perante toda a realidade, material e espiritual. Sua relação com a psicanálise é marcada de maneira contundente em estabelecer um diálogo com o universo do conhecimento na compreensão do ser humano, na constituição do sujeito.


12. Teologia filosófica: argumento ontológico, cosmológico e o argumento do design inteligente a favor da existência de Deus

Moderador: Prof. Me. Paulo Andrade Vitória

O objetivo da Sessão Temática é entender a teologia filosófica como um ramo da filosofia da religião. Por isso, a ideia é abordar e analisar o argumento ontológico de Santo Anselmo, o argumento cosmológico de Santo Tomás de Aquino e o argumento do Design inteligente a favor da existência de Deus. Desejamos explorar as formulações atuais desses argumentos com as ferramentas contemporâneas da lógica. É de interesse da Sessão Temática discutir as objeções darwinistas e neodarwinistas apresentadas a esses argumentos. Além disso, exploraremos questões envolvendo a experiência da fé.


13. As imagens de um Deus violento na Bíblia

Moderador: Prof. Me. Jacil Rodrigues